A finalidade da AAB é congregar pessoas físicas e jurídicas com interesse na promoção e no desenvolvimento da Engenharia, Ciência e Tecnologia Aeroespaciais, para:
  • debater e propor programas e prioridades para a área;
  • promover e propor melhorias organizacionais, métodos de trabalho, e infra-estrutura necessários para o desenvolvimento e operação de sistemas aeroespaciais;
  • debater e propor política industrial, de educação e de divulgação para a área;
  • participar de comissões, comitês, grupos de trabalho e de eventos, fornecendo pareceres técnicos e posições sobre os diversos temas da área;
  • divulgar a posição da AAB sobre os diversos temas da área.

Formas de atuação da AAB

 
Desenvolvimento de Propostas, Análises e Pareceres
Através de debates de temas específicos em eventos, em grupos de discussão e de trabalho, em comitês, e em comissões internas.
 
Apresentação de Propostas e das Posições da Sociedade
Através do encaminhamento de Propostas e das posições da Sociedade a autoridades, e da participação em comissões governamentais.
 
Divulgação
Através da organização de eventos específicos, de um portal eletrônico, de informativos e de revistas técnicas. Através da organização de cursos, estimulando a inclusão na área, e entrevistas.
 
Suporte ao Desenvolvimento
Através da organização e da manutenção de acervo técnico-científico em assuntos de interesse da área.
 
Exemplos e Oportunidades de participação
Deverá ser constituído a curto prazo um Grupo de Trabalho interministerial para revisar o SINDAE. Órgãos de classe certamente serão convidados a participar e contribuir.
- O processo participativo implantado pelo atual governo federal para a discussão do PPA, abre oportunidades de participação de entidades representativas.
- Tanto o Conselho Superior da Agência Espacial Brasileira, quanto o Conselho Técnico-Científico (CTC) do INPE, reservam vagas para representante das indústrias da área (AIAB). Por que não incluir também um membro que represente uma entidade dos profissionais da área?

Organizações que se espera envolver

 
As organizações e áreas que se espera envolver, individualmente ou institucionalmente, são as seguintes:
 
Universidades
Com ênfase nas que possuam Faculdades, Departamentos, Institutos ou Laboratórios que desenvolvam atividades ligadas direta ou indiretamente à área aeroespacial (ensino e/ou pesquisa). As atividades por elas desenvolvidas podem ser de cunho técnico (particularmente nas disciplinas de engenharia ligadas à área), de aplicação das tecnologias espaciais (ciências espaciais e da terra), ou de análise econômica e estratégica.
 
Órgãos Governamentais
Com ênfase nos órgãos diretamente ligados ao Programa Nacional de Atividades Espaciais – PNAE e às atividades aeronáuticas. Dentre eles: Agência Espacial Brasileira – AEB; Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE; Centro Técnico Aeroespacial – CTA; Instituto de Aeronáutica e Espaço – IAE; Centro de Lançamento de Alcântara – CLA ; Centro de Lançamento da Barreira do Inferno – CLBI e INFRAERO.
 
Indústrias
EMBRAER e demais empresas fornecedoras na área aeronáutica.
 
Organizações da mídia impressa e eletrônica
Com ênfase nas que demonstram interesse em cobrir a área sob os pontos de vista técnico e de suas políticas, além do econômico.